domingo, 18 de maio de 2014

Galette de alperces e frutos vermelhos com pistáchios no World Baking Day

Cozinhar é sempre cozinhar para alguém e muito raramente apenas para mim. Se estiver sozinha faço algo simples: uma salada rápida, um omelete, ovos mexidos ou uma sopa.  Só até capaz de comer fruta e iogurtes mas raramente me dou a grandes trabalhos. Contrariamente a esta minha existência meio solitária e sem hordas de amigos, cozinhar é sempre um acto de partilha. Nada como uma contradição para apimentar a vida. Quando neste World Baking Day o repto foi lançado - "Who will you bake for?" – foi-me fácil decidir e aderir. Os meus eleitos são sempre os de cá de casa, a quem dedico quase todos os meus cozinhados numa eterna declaração de amor. Esta foi a de hoje. 

Galette de alperces e frutos vermelhos com pistáchios 

Para a massa
200 g de farinha
50 g de manteiga
50 g de margarina
1 ovo pequeno
3 colheres de sopa de açúcar
Água gelada

Recheio
Alperces (a gosto)
Frutos vermelhos (a gosto)
Pistáchios (a gosto)
3 colheres de sopa de doce de doce de pêssego



Preparação
Numa tigela juntar a farinha e uma pitada de sal. Adicionar a manteiga e a margarina bem fria cortada em pedaços pequenos. Com um amassador manual amassar a farinha com a margarina e a manteiga. Deitar o açúcar. Juntar um pouco de água gelada para unir e por fim o ovo. Com uma faca mexer para unir. Deitar a massa numa superfície enfarinhada. Mexer apenas o suficiente para formar uma bola e levar ao frigorífico durante uma hora.  
Lavar e preparar os frutos. Cortar os alperces em quartos. Descascar e picar os pistáchios.
Depois de a massa ter descansado, retirá-la do frigorífico e estendê-la sobre uma folha de papel aderente até ficar uma placa redonda. A massa é muito frágil e o manuseamento deve ser feito com cuidado, mas sem hesitações. Colocar a massa em cima do papel aderente numa tarteira de fundo amovível. Deixar uma margem de três centímetros. Barrar os fundo da massa com três colheres bem generosas de doce de pêssego e dispor a restante fruta por cima. Virar as bordas para dentro e levar mais quinze minutos ao frigorífico. Pré-aquecer o forno a 200º.
Findos os 15 minutos, retirar do frigorífico. Retirar a galette da tarteira e colocar com o papel vegetal no tabuleiro do forno. Estará pronta quando a massa estiver corada e a fruta cozinhada. Retirar do forno e untar com o doce levemente aquecido.


Notas: 
  • a massa não deve ser pouco mexida para não ficar dura.
  • usei metade de margarina e metade de manteiga para conservar o sabor da manteiga e a textura da massa.
  • a escolha dos alperces é um amor de sempre meu.
  • para quem gosta de sobremesas bem doces aconselho outro tipo de fruta ou em alternativa compensar com uma bola de gelado.


12 comentários:

Brisa Maritima disse...

Linda Leonor,

Estou em sintonia contigo, não para o World Baking Day, no qual não participei, mas nos frutos secos que andei a ruminar durante o dia... depois é que vão ser elas com a cintura a alargar mais e mais ! eheh

Galettes são das minhas sobremesas preferidas, com fruta suculenta e doce a contrastar com as massas caseiras tão crocantes e deliciosas.
É assim a tua: uma sobremesa de luxo para um Domingo ensolarado pelo Astro Rei e pelo World Baking Day, ficou magnifica a tua galette !

Um beijinho grande **

Leonor disse...

Ai, minha Isabel, nem me fales na cintura! Tenho de começar outra vez a fazer restrições, se não estou perdida.

Também gosto tanto de galettes, o único problema é a massa mas ainda assim esta não é das piorzinhas.
Muito obrigada :)
Beijinhos

Isabel Patrício disse...

Leonor,
Também como muitas vezes sozinha e não me dou ao trabalho de fazer refeições complexas, como uma salada, fruta, sopa, iogurtes, o que estiver à mão.
Adoro galettes, o contraste da massa com as frutas fica divinal. A tua tem alperces e frutos vermelhos que adoro a contratar com os pistácios fica perfeito.
Gostei da tua sugestão :)
Bjns
Isabel

Leonor disse...

É isso, Isabel, se vivêssemos sozinhas provavelmente seria diferente mas assim só faço coisas pouco elaboradas.
O contraste da massa com a fruta suculenta é óptimo. Esta ficou um bocadinho ácida porque não adicionei açúcar à fruta.
Beijinhos e obrigada pela visita.

Comida de conforto disse...

Não é possivel cozinhar bem sem amor! Nota-se, nesta galette maravilhosa, de cores tão quentes e sabores deliciosos, que foi feita com muito amor!
Beijinhos

Entre Tralhas e Panelas disse...

Ficou com um aspecto delicioso

basta cheio disse...

E que bonita declaração de amor, Leonor! :) Revejo-me um pouco nas tuas palavras.
Fiz galette uma única vez, achei a massa bem dificil de trabalhar e o recheio demasiado doce. No entanto, com as devidas alterações dá um doce muito interessante e esta tua está lidissima, tão quentinha, com um ar super apetitoso :)

Bjinhos

Leonor disse...

É bem verdade, não há cozinha dedicada sem amor. Mesmo aquela do dia-a-dia tem sempre uma pitada de amor.
Beijinhos, conforto ;)

Leonor disse...

Obrigada :)

Leonor disse...

Obrigada :)
Tens razão, a massa é difícil. O pior é não se poder mexer muito. Já tinha feito outra com mais manteiga e foi mais fácil do que esta mas o sabor compensa. Ainda em relação ao doce, esta ficou muito pouco doce. Não lhe deitei açúcar, foi só o doce.
Beijinhos

Gori disse...

Detesto cozinhar apenas para mim, quando isso acontece acabo por andar a saltar refeições. Também, para mim é a força que me fazem ir para a cozinha e apreciar cada momento :) Adoro galettes, adoro tudo o que leve fruta, e cada vez mais vejo-me a cortar o açúcar em tudo o que é receita! Esta ficou linda e super apetitosa.
Beijinhos

Leonor disse...

Também não gosto muito mas acho que se vivesse sozinha seria diferente.
Esta galette ficou muito pouco doce.
Beijinhos e obrigada pela visita :)