sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Rosquilhas de Inverno e a liberdade anunciada

Odeio obrigações. Odeio datas para comemorar apenas porque sim. Detesto que me obriguem a tarefas sem sentido, incompatíveis com o espírito racional que me acompanha sempre, e sempre tão lesto como o coração que amolece a um sorriso e um gesto carinhoso. Contudo, gosto de efemérides, das minhas efemérides. Gosto de celebrar passagens na vida, gosto da vitória conseguida e do prazer comemorado e sou incapaz de passar uma data significativa sem uma comemoração. Pode até ser discreta, será certamente, mas não passarão em vão os momentos, dias, épocas. A memória de elefante que me assiste obriga-me de igual forma a lembrar-me de datas que preferia esquecer mas que, tal como a inauguração de épocas e celebração de dias, são a minha matriz, a mulher em que me transformei ao longo dos anos.
Hora do almoço tardia. Saí aliviada. O passo mais leve e acelerado, o sorriso aberto que me deu as boas-vindas e o dossier arrumado para o banco de trás do carro. O fim.
Duas semanas serão. Duas semanas em que tenciono nada fazer a não ser aquilo que me apetecer. Pode ser ler, esticar-me no sofá, ver filmes, ou aquilo que muito bem me apetecer. Há dias em que a minha profissão me faz a mais feliz das criaturas, pequenas conquistas que não constam em lado nenhum se não entre as quatro paredes da minha sala de aula, gestos de carinho inesperados, esforços recompensados nos números do canto superior direito de uma simples folha de teste, um sorriso no pátio. Há dias em que a minha profissão me mata, dias em que sei que não aguentarei tudo o que me querem impor, dias em que me faltará a vitalidade, a presença de espírito, a rapidez na resposta, dias em que acho que mereço mais, mereço melhor sorte e que quero sair, quero ir-me embora, alimentando sonhos de adolescente.
Hoje foi dia de pausa. Recolhi-me na sala desarrumada, encontrei o livro de receitas antigo que me foi oferecido pelo meu pai, antes de computadores, tablets, telemóveis, e procurei uma receita, antiga também ela e que me andava a apetecer. Há efemérides que se devem comemorar. O descanso é um deles. O Natal é outro. Bem-vindo a esta casa.

Rosquilhas fritas com laranja

Ingredientes
250 g de farinha
100 g de açúcar
1 colher de chá de fermento
½ colher de chá de sal refinado
Raspa de uma laranja
1 ovo
2 colheres de sopa de óleo de girassol
Buttermilk (leite em alternativa)

Óleo para a fritura
Açúcar e canela para envolver


Preparação
Juntar os ingredientes secos. Adicionar a raspa de laranja. Fazer uma cova no meio e deitar o ovo, o óleo, e buttermilk apenas em quantidade suficiente para ligar a massa. Bater com a batedeira. Numa superfície com farinha tender a massa com o rolo da massa, se ficar demasiado mole, acrescentar mais farinha, e cortar com um corta biscoitos. Fazer um orifício no meio com um dedal. Fritar em óleo quente, deixar absorver o óleo com papel absorvente e envolver em açúcar e canela. Tão fáceis e tão bons. 


10 comentários:

Comida de conforto disse...

Aproveita bem as duas semanas de merecidas férias, depois de tempos tão conturbados que a tua classe tem atravessado... Que melhores tempos se avizinhem!
Não conhecia estas rosquilhas, mas têm um aspecto delicioso.
Votos de um feliz Natal!

Leonor disse...

Vou fazer por isso, obrigada :)
São boas e fáceis. Comem-se num instante.
Beijinhos e um feliz Natal também.

Célio Cruz | Sweet Gula disse...

Estas rosquilhas ficaram com um aspecto excelente e são uma boa opção, em substituição dos tradicionais sonhos. Gostei.
Aproveita para descansar e votos de umas Boas e Felizes Festas. ;)
Beijinho.

Isabel Patrício disse...

Olá Leonor,
não conhecia estas rosquilhas, são fáceis de fazer, mas adivinho que depressa se comem também :)
Gosto muito de te ler e perante as adversidades atuais referentes à docência, percebo bem como te sentes.
Dias melhores virão, resta essa esperança.
Agora aproveita bem esses dias e sê feliz
Boas Festas
Bjns
Isabel

Isabel Patrício disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Isabel Patrício disse...

Desculpa, eliminei o comentário que foi em duplicado :)

Manuela Teixeira disse...

Umas rosquinhas muito gulosas.
Passei para desejar um Natal cheio de amor,saúde, paz e esperança e uma excelentes entradas em 2014.
Bjnhos,
http://saborescomtempo.blogspot.pt/

Leonor disse...

Olá Célio,
São muito mais fáceis do que os sonhos :)

Beijinhos

Leonor disse...

Obrigada, Isabel, comem-se mesmo num instante e rendem imenso.
Estou mesmo a descansar da docência. Dia 6 há mais :) O que me aguenta é sempre a esperança de melhores dias.
Beijinhos

Leonor disse...

Que bom, Manuela, um ano excelente também!
Beijinhos