quarta-feira, 30 de julho de 2014

Muffins de chocolate para arrumar o ano lectivo

Para um professor os anos não terminam em Dezembro. Nessa altura ainda vamos a um terço do ano, e isto porque para nós os anos são lectivos e não civis. Para mim, pelo menos. No momento em que vos escrevo, acabo de arrumar o ano. Este ano foi um ano estranho, de imenso trabalho e alguns desafios que me deixaram satisfeita. Todos os anos são diferentes, porque os alunos são sempre diferentes, e fazendo uma análise, temos a tendência para achar que o último é sempre o mais difícil. Se pesar os resultados finais e aquilo que consegui fazer com os alunos o balanço é bem positivo. Contudo, nos últimos tempos, anos, diria, surgiu um novo desporto que faz com muitas vezes pondere abandonar estar profissão: tiro ao prof. Não há quem não tenha relambórios, queixas, críticas, dedos apontados, ânimos exaltados ou uma palavrinha contra o professor. Tudo vale. Nada se tolera. Nada se desculpa. Tudo serve para autos-de-fé em praça pública. Esta intolerância estende-se também aos alunos, também eles são apelidados de ignorantes, mal-educados, desrespeitadores. Se juntarmos os professores que não prestam para nada com os alunos que para nada prestam, segundo os arautos do apocalipse, estamos literalmente entregues aos bichos. Ora acontece que, como se sabe, todas as generalizações são abusivas e nem nós somos todos maus nem eles são todos péssimos. A turma que originou a receita que hoje vos trago incluía-se no grupo dos que assim não são. Nos primeiros dias fiquei agradavelmente surpreendida. Consegui fazer o que já não conseguia há anos: ter os alunos calados e interessados, a participar, e a fazer a aula acontecer. No fim do ano convidaram os professores que os acompanharam ao longo destes dois anos para um piquenique no jardim. Cada um levaria algo para comer. Fiz-lhes estes muffins. Temperei-os com o meu carinho e retribuíram-me da melhor maneira, apreciando-os. Se conhecessem melhor o ensino talvez o odiassem menos e o respeitassem mais.

Muffins de chocolate

Ingredientes
250g de farinha de trigo
150g de açúcar branco
2 colheres de chá fermento
4 colheres de sopa de cacau em pó
½  colher de chá de sal refinado
100 gr de chocolate negro cortado em pedaços
1 ovo grande
250ml de buttermilk (pode ser substituído por leite)
90ml de óleo vegetal

Preparação
Prá-aquecer o forno  a 190°C. Colocar formas de muffins de papel dentro das formas de silicone para o mesmo fim.
Juntar a farinha, fermento, cacau em pó e sal num recipiente. Adicionar o açúcar e o chocolate em pedaços.
Bater o ovo e o óleo com uma vara de arames. Juntar aos ingredientes sólidos e mexer apenas. Deitar por fim o buttermilk e envolver.  Não bater nem mexer demasiado a massa.

Deitar colheradas da mistura nas formas de muffins até dois terços e levar ao forno 20 a 25 minutos. 


Fiquei convencida com estes muffins: muito fáceis de fazer e deliciosos. Ao contrário do que se faz com o ensino, ninguém reclamou.

4 comentários:

Susana Machado disse...

lindos!
Beijinhos,
http://sudelicia.blogspot.pt/

Leonor disse...

Obrigada, Susana :)

Belocas disse...

Uma receita ideal para piqueniques e tardes de praia.
Realmente muito se tem dito dos professores e dos alunos, mas eu acredito sinceramente, que a profissão de professor é muito importante e que o trabalho que desenvolvem com os alunos pode ser decisivo para as opções, escolhas e futuros destes. Também há jovens muito interessantes uns verdadeiros sobreviventes num ensino, e numa sociedades competitiva. A comunidade educativa tem grandes desafios pela frente, professores, pais, alunos e todos os outros profissionais envolvidos devemos estar juntos por um ensino melhor.
Desejo um próximo ano lectivo cheio de sucesso.
Um abraço

Leonor disse...

Olá Belocas,
É mesmo boa para isso ou para uma lanche mais invernoso, se bem que chocolate é sempre bom.
Ser professor é um grande desafio mas quando há reconhecimento faz-nos sentir muito mas muito bem. Incomoda-me muito que se nivele por baixo e que todos os jovens sejam encarados como uma mole acéfala e mal-educada. Não são todos assim, diria que uma grande parte não é assim.
Concordo em absoluto que todos devemos estar juntos, é uma das coisas que também me preocupa. Devemos 'puxar' todos para o mesmo lado para um futuro mais risonho.
Beijinhos e obrigada :)