quinta-feira, 1 de maio de 2014

Guinness Soda Bread para o Dia Um

Estava frio, muito frio para o início de Agosto. Quis o acaso ou a imprudência que não tivesse tomado café antes e quando chegou a hora do almoço no meu primeiro dia da semana em Cork, eu estava já exausta. Nesse primeiro dia decidiu-se que o almoço seria no English Market, o mercado local com uma oferta variada de produtos e, como todos os mercados, um estímulo poderoso para os sentidos.  Enquanto esperava pelo salmão grelhado, arrastando-me numa terrível fraqueza, veio para a mesa, onde se falavam algumas línguas do mundo, um pão em fatias, escuro, e de textura e sabor diferente de todos os que tinha provado até então. Estava morno e foi comido com manteiga e com prazer, o conforto dos dias frios e inesperados, o antídoto para o cansaço que me assolava. A comida é tantas vezes conforto. Ao longo dos dias o pão foi voltando, a mesma textura e sabor, com uma ou outra variação, mais ou menos escuro e sempre tão reconfortante. Este pão singelo, fofo e macio, constituiu um mistério revelado posteriormente. Bastava juntar a farinha com bicarbonato de sódio e buttermilk, a química, como em muitas outras coisas, encarregar-se-ia do resto. Viva a simplicidade. 

Guinness Soda Bread

Ingredientes
250 g de farinha de trigo sem fermento
250 g de farinha de trigo integral
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
1 colher se chá de sal
1 colher de chá de açúcar
200 ml de butternilk (comprei feito)
200 ml de stout (usei Guinness)

Preparação
Num recipiente largo juntar as farinhas com o açúcar, o bicarbonato de sódio e o açúcar. Abrir uma cova no meio e adicionar a Guinness e o buttermilk. Com um grafo de madeira mexer cuidadosamente os ingredientes. Quando estiver formada uma massa pôr numa superfície enfarinhada. Unir a massa com as mãos sem amassar. Formar uma bola e transferir para um tabuleiro de forno com uma folha de papel vegetal anti-aderente. Com uma faca cortar uma cruz no pão. Ligar o forno a 220º e deixar a massa descansar 30 minutos. Findo esse tempo levar ao forno, meia hora. Retirar, deixar arrefece um pouco e saborear. Quem disse que fazer pão é difícil e moroso?
E aqui está a minha participação em mais uma edição do Dia Um... na Cozinha, dedicado ao pão numa homenagem das organizadoras ao dia 1 de Maio e a todos os trabalhadores do mundo e à qual me junto. Nos dias que correm julgar-se-iam para trás os dias em quem não havia pão na mesa, metáfora para uma sociedade justa e digna em que ninguém passaria fome, contudo a realidade todos os dias nos aponta noutra direcção e os tempos passados parecem bater à porta e sentar-se à nossa mesa como um fantasma de tempos que não se desejam.

Quando vi a escolha do Dia Um.. Na Cozinha, não fiquei muito animada: não tenho máquina de fazer pão, não tenho Bimby e recorro apenas a uma singela batedeira que me acompanha há uma dúzia de anos. Também não sou a mais paciente das  criaturas. Depois de dar voltas à cabeça, lembrei-me deste pão. É saboroso, de textura única, não precisa de ser amassado, não pode mesmo ser amassado, e seria a entrada desejada para uma almoço de feriado. Foi comido com manteiga com alho e ervas aromáticas e queijo da Serra. 
E agora, quando chega o próximo desafio?


38 comentários:

Entre Tralhas e Panelas disse...

Que belo aspecto...também...participei :)

cook simple disse...

Uma sugestão diferente e com um ar delicioso. Vou guardar a receita :)

Beijinhos, Paula
http://cookit-simple.blogspot.pt

Leonor disse...

Olá :)
Obrigada.
Beijinhos

Leonor disse...

É tão fácil de fazer e fica muito bom.
Beijinhos

Mª João - Ponto de Rebuçado Receitas disse...

Leonor, este pão deve ter aquele sabor ácido de que gosto tanto... vou guardar a receita, adorei!
Adorei também a introdução, como sempre...
Beijinhos

Masterchef de Algibeira disse...

Que pãozinho apetitoso Leonor... e deve ser muito bom.. tenho que experimentar e depois venho cá contar.. :)
beijinhos

Comida de conforto disse...

Que delícia deve ser esse pão, Leonor! Um sabor diferente daqueles a que estamos habituados, mas decerto reconfortante. E com essa manteiga de alho, quem lhe resiste?
Eu não resistiria, de certeza...
Beijinhos

Leonor disse...

Olá Maria João, tens de experimentar. O sabor é mais suave do que possa parecer.
Depois conta como ficou :)
Beijinhos

Leonor disse...

Experimenta, Mafalda e depois diz como correu :)
Beijinhos

Leonor disse...

A manteiga de alho e a manteiga saborosa dá-lhe muita vida, Lina ;) Comprei esta quando fui comprar o buttermilk no Aldi e nao fiquei arrependida.
Beijinhos

basta cheio disse...

Adoro o aspecto robusto do teu pão, Leonor. Gosto muito de pães escuros e densos.
Diz-me uma coisa, o facto de levar cerveja assemelha-o de alguma forma ao pão de malte?

Gostei muito da homenagem.

Bjinhos

São Ribeiro disse...

Já fiz mas sem a cerveja, e gostei muito.
É um pão rápido e muito saboroso
O teu ficou lindo e apetece mesmo comer
Vou levar a receita
bj

Leonor disse...

Fica assim meio tosco ;) Uma das receitas que vi e uma outra vez que fiz foi numa forma de bolo inglês mas prefiro assim.
Nunca comi pão de malte, Susana, não sei mas fica denso mas ao mesmo tempo fofo e macio.
Beijinhos

Leonor disse...

É tão fácil, não é, São? E acaba por ser a antítese de todos os outros pães que precisamos de amassar muito.
Beijinhos

Isabel Patrício disse...

Leonor,
quando vi este teu pãozinho pensei que fosse muito difícil de fazer, mas verifiquei que mesmo eu que também sou fraquita de braços, sou capaz de o amassar, ou melhor não amassar :)
Uma vez comprei uma Guinness para fazer um pão de um livro que tenho, mas o meu marido bebeu-a e a experiência ficou adiada.
Parece que vou comprar outra para fazer este pãozinho que tem um aspeto rústico muito do meu agrado.
O teu texto como sempre está fantástico.
Parabéns pela participação.
Bjns
Isabel

Paula Vieira disse...

Ficou um pão muito apelativo, e saboroso a julgar por essa fatia coberta de manteiga...

Bjs.
Paula

Leonor disse...

Olá Isabel,
Na conversa no grupo eu disse que ia por um atalho em vez de me meter em coisas complicadas. Gosto muito deste pão, já tinha feito antes, embora levemente diferente, e corre bem. É saboroso e tão fácil.
Quanto à Guinness, bem, avisei cá em casa que era para o pão e, na verdade, quem bebeu o que sobrou desta fui eu mas o meu marido é fã número da Guinness e aparece muito cá em casa.
Obrigada :)
Beijinhos

Leonor disse...

Obrigada, Paula ;) A fatia é imprópria para quem tem colesterol alto ou problemas de peso mas uma delícia para quem gosta destes 'pequenos' prazeres.
Obrigada pela visita.
Beijinhos

Brisa Maritima disse...

Querida,

E tu lá eras Mulher para te deixar "bater" por um tema dedicado ao Pão ? Era o que mais me faltava ! :) :) :)
Português que é português nunca se atrapalha ! A arte do "desenrascanço" está bem enraizada e eu não me envergonho minimamente disso, porque muitas vezes DISSO depende a vivência e até a sobrevivência ! :)
Mesmo sem as habituais "artilharias" que a sociedade nos fornece para treinarmos a arte do pão, a verdade é que tu fizeste um Pão excelente de execução simplificada mas de textura e sabores ricos !
Também este teu pão cheiinho de personalidade, bem vincada pela cerveja e pela sua cor bem apelativa !
Que bom que mais uma vez estiveste connosco, minha Leonor ! :)
É sempre um prazer enorme ter-te no desfile, já o sabes e, como tal, até dia 15 ! :)

Um grande beijinho *

Coisas e Coisinhas disse...

Olá Leonor!
Adorei esta tua receita, este teu fantástico pão e deixe-me totalmente embrenhar pela história que lhe juntas :) Estas receita levo-a comigo :)
Beijinhos *
Vânia

Belocas disse...

Fazer pão é fácil, e amassar à mão até pode ser uma forma de descontracção. Eu adoro amassar como também sou fraquita arranjo sempre umas receitas muito práticas. Vou levar a receita comigo.
Obg, e Bjs

Chocolateamais disse...

Que delicia de aspecto. Com manteiga com alho então deve ficar divinal. Já são tantas receitas de pão que queria experimentar que torna-se complicado :)

Sílvia Martins disse...

Adoro pães assim...rústicos com essa crosta deliciosa e irresistível!
Parabéns!
Beijinhos

Sílvia
http://bocadinhosdeacucar.blogspot.pt/

Carla Carmo disse...

O soda bread é tão bom.

Célio Cruz | Sweet Gula disse...

Olá Leonor!
Finalmente consegui vir fazer uma visita ao teu pão. E que belo pão, diga-se de passagem. Já ouvi falar imensas vezes do Soda Bread, mas nunca fiz. Também já fiz um pão de cerveja, para o World Bread Day e que me conquistou, mas o teu pão é um dois em um e que tem um aspecto magnífico que me conquistou assim que o vi a desfilar no dia 1. Deve ser delicioso, tem um ar rústico, como eu gosto. A última imagem está qualquer coisa, aquela manteiga matou-me. ;)
Beijinho.

Leonor disse...

Querida Isabel, eu não sou muito de desistir mas vi a minha vida a andar para trás com este tema. Tens razão com a 'arte do desenrascanço', comecei logo a pensar como iria dar a volta. Sou rapariga de poucas maquinarias e às vezes vejo-me mais enrascada.
Eu é que agradeço fazer parte deste grupo maravilhoso, minha linda. Como já disse no grupo, gosto muito do ambiente descontraído e da harmonia que vocês tão bem transmitem. É tão bom trocar experiências e receitas :)
Muitos beijinhos e já estou à espera de dia 15.

Leonor disse...

Olá Vânia :)
Gosto de cozinhar e também gosto de escrever e aqui junto quase sempre as duas.
Depois conta como correu.
Beijinhos

Leonor disse...

Olá Belocas :)
Eu acho que não tenho muito jeito para amassar pão, parece-me sempre tão difícil. Faço-o apenas para a pizza.
Leva a receita, pois ;)
Beijinhos

Leonor disse...

Obrigada, chocolate a mais ;) Estou como tu, quase já perdi a conta do que quero experimentar. Foi mais um desfile fantástico.
Beijinhos

Leonor disse...

Obrigada, Sílvia, fico contente por ser do teu agrado :)
Beijinhos

Leonor disse...

É, não é, Carla? ;)
Beijinho

Leonor disse...

Olá Célio,
Muito obrigada pela visita :)
Este pão é super fácil mesmo, o único cuidado é ser calmo no manuseamento. E é rápido também, não há desculpa para não ter pão morno. A manteiga casa mesmo bem com ele.
Beijinhos

Tertúlia da Susy disse...

Lindo ficou... delicioso tb deve ter ficado. Adoro estes pães.
Bjs

Leonor disse...

Obrigada :)
Beijinho

Susana Figueiredo disse...

Vou ter que experimentar! Vejo que continuas em modo Irlanda ;)

Susana Figueiredo disse...

Vou ter que experimentar! Vejo que continuas em modo Irlanda ;)

Leonor disse...

De vez em quando dá-me forte ;)

Raquel Raminhos disse...

O pão é mesmo reconfortante, a melhor maneira de começar o dia (e às vezes a melhor maneira de acabar), a acompanhar qualquer refeição, é presença obrigatória sempre.
Gostei tanto deste desafio!

Beijinhos,
Raquel
http://amor-as-camadas.blogspot.pt