sábado, 1 de fevereiro de 2014

Sopa de tomate assado e manjericão e um antídoto para a solidão.

Amesterdão é uma cidade estranha e cheia de mitos nem sempre muito lisonjeiros para a cidade, dependendo do ponto de vista, mas que não deixam de ser mitos. Um dos outros mitos é a beleza da cidade. Os canais e as cornijas, as casas estreitas, quase em equilíbrio instável, únicas na sua diferença, os espaços verdes da cidade, a proverbial tolerância que não se estende ao resto da Holanda. Pode ser muito bela, sim, mas pode ser áspera e gélida, coberta por mantos densos que ocultam o sol. A primeira vez que lá estive era Inverno, Março talvez, uma visita fugaz num dia de muito frio. A segunda vez que lá estive era Setembro e todos os dias foram dias de muito frio. Um Setembro áspero que não oferecia qualquer novidade aos nativos. Nesses dias longos de céu cinzento tive muito tempo. Tempo para calcorrear a cidade longe do centro e do turismo. Avistava ao longe o Nemo e o Museu Marítimo e cruzava pontes e canais à parte dos circuitos turísticos. A vida leva-nos por vezes por outros caminhos e nesses caminhos, seja em que cidade for, a solidão pode espreitar a qualquer esquina. Quanto mais bela a cidade mais dolorosa a solidão. Às vezes encontrava-a ali perto, outras vezes mais longe, mas foi uma constante. Meti o nariz em muitos museus, alberguei-me em alguns na esperança de que a arte me acalmasse a nostalgia, um sentimento estranho de fim. Num desses dias fui ao Museu Van Gogh, provavelmente o museu mais conhecido de Amesterdão e lá andei, falando de mim para mim, sempre surpreendida com a capacidade de passar para telas o incompreensível que vai dentro de nós e a cor, nada me atrai tanto como a cor, e o traço espesso, a marca inequívoca da alma perturbada. E estava frio. Era Setembro. Eu estava sozinha e encontrei conforto numa deliciosa sopa de tomate com pimenta preta no restaurante do museu. A que melhor me terá sabido.

Sopa de tomate assado e manjericão

Ingredientes
1 kg de tomate de cacho
2 cebolas roxas médias
1 batata média
4 dentes de alho
¼  de colher de sobremesa de pimenta Cayenne (opcional)
½ colher de sobremesa de açúcar
½ cubo de galinha
Manjericão a gosto
1 colher de sopa generosa de crème fraiche
Pimenta preta acabada de moer
Azeite (um fio)




Preparação
Pré-aquecer o forno a 200º.
Cortar as cebolas em rodelas finas, o alho em pedaços, deitar a pimenta Cayenne, regar com o fio de azeite e levar a lume médio a baixo numa frigideira larga que possa ir ao forno. Refogar uns quatro minutos sem deixar que a cebola caramelize. Adicionar os tomates cortados em quartos com a pele mas sem sementes, com a parte cortada virada para baixo. Juntar a batata cortada em rodelas muito finas. Temperar com sal. Salpicar com o manjericão picado. Deixar ao lume mais uns quatro minutos. Não mexer nunca. Levar ao forno pré-aquecido cerca de meia hora para assar os vegetais. Findo esse tempo, transferir para um tacho. Deitar um pouco de água na frigideira para a aproveitar os sucos, dissolver meio cubo de galinha e verter no tacho. Ferver um pouco e, com um triturador de alimentos, triturar todos os ingredientes. Deitar a água necessária para liquidificar e formar um creme mais homogéneo. Rectificar o tempero, ferver mais um pouco e, por fim, acrescentar o crème fraiche. Servir bem quente, com pimenta preta acabada de moer e folhas de manjericão a gosto.



Notas:
  • A pimenta Cayenne torna a sopa picante, mas pode obviamente ser omitida.
  • A qualidade do tomate é fundamental. Nada daqueles tomates sensaborões que nos aparecem no supermercado ao preço da chuva.
  • Nunca tinha feito sopa com vegetais assados mas fiquei fã. A diferença no sabor é substancial.
  • A inspiração veio de várias fontes: Gordon Ramsay para variar, Rachel Allen, receitas que procurei na net. O resultado foi este.
  • Esta sopa é muito melhor do que a comi no museu Van Gogh. Estou a pensar candidatar-me para lhes mostrar como se faz. 

E aqui fica a minha resposta a mais um desafio Dia Um... Na Cozinha. Belíssima ideia, esta de proporem as sopas como tema. Siga para o seguinte e um beijo às incansáveis dinamizadoras. 



49 comentários:

Xana Bértolo disse...

Realmente o facto do tomate ser assado antes deve conferir um sabor especial a esta sopa. Há uns tempos experimentei pela 1ª vez na assar abóbora, e o sabor com que fica depois é espantoso!!!
Adorei a tua sopa :)
Até breve!!
beijinho

teimosita disse...

Cá estou eu... com uma vontade louca de provar esta sopa com tão bom aspecto. Amanhã ainda vou a tempo? :)

Ilídia disse...

Ainda há dias falava com uma colega, no bar da escola, sobre a solidão no meio de muita gente. Acho que é a pior. Nunca estive em Amesterdão, mas já me senti muito perdida (e só)numa grande cidade. Não é difícil para uma açoriana, que mora numa ilha com 55000 habitantes.

Bela sopa!

Um beijo,
Ilídia

Célio Cruz | Sweet Gula disse...

Ainda bem que entraste nesse museu Leonor. Assim descobriste esta deliciosa sopa que aqui hoje partilhas e que de certeza é um conforto para a alma e o palato. O aspecto está divino e convence qualquer um. Eu já estive em Amsterdão e olha que provei muita coisa, mas nunca uma sopa com estas cores e ingredientes. ;)
Beijinho.

Belocas disse...

É uma sopa riquíssima.
Tenho que experimentar a assar os legumes para a sopa.
Tenho a certeza que vai ultrapassar essa fase de solidão. Uma boa sopa pode ser a desculpa para ter um bom grupo de amigos à volta da mesa....

Bom fim de semana

Leonor disse...

Hei-de experimentar com abóbora também, Xana. A Isabel do Emoção às Colheradas tem lá uma receita que não me vai escapar. Como muita sopa no Inverno mas tenho tido pouca imaginação. Esta descoberta de assar os legumes vai mudar a minha vida ;)
Beijinhos e obrigada.

Leonor disse...

Amanhã provas, minha teimosita mãe, e dás o teu verdicto :)
Mil beijocas.

Leonor disse...

É terrível, Ilídia, mas em cidade nenhuma me senti tão só como em Amesterdão. Provavelmente tinha mais a ver comigo do que com a cidade.
Obrigada.
Beijinhos :)

Leonor disse...

É verdade, Célio, cá para mim a que provei lá era de pacote, mas soube-me mesmo bem com aquele tempo estuporado ;)
Beijinhos e obrigada

Leonor disse...

A fase de solidão foi ultrapassada felizmente, o episódio que relato já foi há mesmo muitos anos, Belocas.
Também vou experimentar esta mesma técnica com outros legumes. A abóbora é a próxima :)
Beijinhos

Loca disse...

Belíssima sopa. Com abóbora assada faço sopa frequentemente mas de tomate ainda não experimentei. Vai ser agora, um dia destes.
:)

Susana Machado disse...

que belo prato de sopa!
Beijinhos,
http://sudelicia.blogspot.pt/

Leonor disse...

A abóbora está na calha, Loca ;) Como quase sempre sopa ao jantar no Inverno e agora que estou de dieta, mas começo a ficar saturada das mesmas. Vou mesmo experimentar.
Beijinho

Leonor disse...

Obrigada, Susana :)
Soube-me tão bem.
Beijinhos

Mariana Teixeira disse...

Estamos em sintonia, adoro sopas de tomate e esta tua parece divinal.
A minha saiu numa versão diferente por isso vou ter de experimentar esta,

beijinho e bom resto de domingo!

Leonor disse...

Estamos mesmo :) E eu a tua ;)
Beijinhos e bom fim-de-semana, Mariana, ainda temos o Domingo.

Susana Figueiredo disse...

Adorei Leonor. A sopa e o texto. Beijo

Leonor disse...

Obrigada, Susana. Beijinho.
A terceira vez que fui a Amesterdão, a cidade pareceu-me mais bonita e nem uma réstia de solidão.

basta cheio disse...

Adorei o aspecto tão quente e denso da sopa, assim como a envolvente história.
Vou com certeza adorar conhecer o blog. :)
Parabéns!

Bjinhos
Susana

Leonor disse...

Obrigada, Susana :)
Vou já fazer uma visita.
Beijinhos e bom Domingo

Marisa Vlasic disse...

Obrigada por sua visita Leonor, fiquei muito feliz!!
Passei para conhecer seu cantinho, já gostei e já fiquei!! Adorei a sua sopa, além da bela cor, ficou com aspecto delicioso!!

Beijinhos e um ótimo domingo!!

Leonor disse...

Obrigada, Marisa :) Também gostei muito do sei cantinho e tenho o Rio no coração.
Beijinhos

Rosa Santos disse...

Olá Leonor!
Que excelente deve ter ficado a sopa de tomate com as características de como é feita e esse toque de pimenta preta moída completou os sabores e a essência dos legumes.
Adorei a descrição de Amesterdão, é um dos países que gostava de conhecer e ver as maravilhosas flores que produzem.
Beijinhos

cook simple disse...

Também gosto muito de sopa com legumes assados. Já guardei a receita para experimentar.
Beijinhos
Paula
cookit-simple.blogspot.pt

Mª João - Ponto de Rebuçado Receitas disse...

Uma sopa de sabores que eu adoro: tomate e manjericão! Ficou com uma cor fantástica.
Beijinhos

Filipa Lemos disse...

Conseguis-te despertar-me a atenção, para esses sabores em sopa. Vou apontar :)

Leonor disse...

Olá Rosa,
Quando fores a Amesterdão, além do mercado das flores, no centro da cidade, vai a Keukenhof. É um parque de flores lindíssimo. Só está aberto na Primavera, acho, mas vale tanto a pena.
Ponho pimenta preta em quase tudo o que faço, uma mania ;)
Obrigada pela visita.
beijinhos

Leonor disse...

Vou fazer outras variações, Paula :) Acho que os legumes ficam mais saborosos assim.
Beijinhos

Leonor disse...

No Verão como quase sempre salada de tomate com manjericão. Também gosto muito da combinação dos sabores, Maria João :)No entanto acho que podia ter posto mais para se sentir melhor o travo do manjericão.
Beijinhos

Leonor disse...

Conta como correu, Filipa :)
Boa semana

Sofia disse...

Bela sopinha. Cores quentes tral como ela se quer nestes dias.
Gostei da sugestão.

Bjs

Tertúlia da Susy disse...

Olá,
Este ano também vou a Amesterdão de férias mas espero não ter uma estadia solitária.
Mas, nem tudo correu mal, pois a sopinha que comeste fez transparecer aqui que te encheu a alma.
Bjs, Susana

Sofia disse...

Que cor vibrante e quente, tal como a sopa se quer por estes dias.
Gostei imenso da sugestão.

Bjs

Sílvia Martins disse...

Adorei as cores!
Parece-me ser deliciosa!
Parabéns pela escolha.
Beijinho

Sílvia
http://bocadinhosdeacucar.blogspot.pt/

Brisa Maritima disse...

Não conheço Amsterdão, Leonor, mas a tua fantástica descrição de alguns dos momentos que por lá passaste provocou-me frio !
E se já frio eu tive durante todo o Janeiro que se passou, então encontro conforto e calor numa sopa como esta tua, com cores sedutoras e bem apelativas !
O cozinheiro do museu tem muito a aprender contigo ! :) :)
E eu também, que nunca me passou pela cabela assar legumes para fazer sopa e aprendi mais esta lição durante todo o "Dia Um..."

Uma beijoquita grande ! *

Leonor disse...

Obrigada, Sofia :)

Leonor disse...

Claro que não, Susana, isto foi apenas um episódio que não deixou de ser muito enriquecedor.
Já lá estive depois disto e não foi nada assim.
Beijinhos :)

Leonor disse...

As cores contrastantes ajudam, é verdade, Sílvia. Fotografar é sempre uma luta, desta vez a luz estava de feição :)
A sopa já se foi toda. Hoje foi fazer com abóbora.
Beijinhos

Leonor disse...

Deve haver uns dias quentes, também já lá apanhei sol mas apanhei também muito frio. Desta vez que relato aqui, Setembro parecia o nosso Inverno, mas vale sempre a pena, a cidade é muito bonita.
Hoje foi experimentar outra variação, vamos ver como corre :)
Beijinhos, querida Isabel.

Rosa Baloon disse...

Olá,

Costumo passar pelo seu blogue (até porque tem excelentes sugestões), mas acho que ficaria a ganhar com um novo modelo para o seu blogger. Receitas tão boas têm de ter um blogue igualmente bonito! Se quiser, aceite a minha sugestão e visite a minha loja no Etsy, onde pode ver alguns dos modelos que já foram desenvolvidos por nós e que vão dar um novo look ao seu já ótimo blogue!
Se não lhe agradar nenhuma das sugestões, estamos sempre à disposição para inovar.
De qualquer forma, quer aceite ou não a nossa sugestão, agradecemos a sua atenção e já sabe: se algum dia mudar de ideias, estamos à disposição.

thecotton-sky.blogspot.pt

Paula Vieira disse...

Uma sopa diferente, com muito sabor e côr.

Bjs.

Paula

Leonor disse...

Obrigada, Rosa.

Leonor disse...

Tem muito sabor sim, Paula, e cor também :)
Beijinhos e obrigada pela visita

Isabel Patrício disse...

Leonor,
assar legumes para fazer sopa embora dê trabalho redobrado, penso que também empresta ao prato sabores adicionais.
Já tenho feito com abóbora, mas nunca com tomate, esta será com certeza mais uma receita que vou levar :)
Como te disse no grupo, neste dia alimentaste a alma e o palato, apesar do frio e da solidão, vieste com certeza mais rica desse passeio.
Adorei o teu texto e as tuas fotos, aliás como sempre.
Obrigada pela tua generosa participação
Bns
Isabel

Catarina Collins - ReceitaseSaboresdoMundo disse...

Essa sopa esta com um aspeto maravilhoso... Perfeita tanto para os dias de frio como de calor :)

Beijinhos

Inês disse...

Que delícia de sopa! Adorei! Ficou com uma cor magnífica!

Beijinhos,
http://www.madamexicaras.com/

Leonor disse...

Olá Isabel,
Depois desta experiência passei para a abóbora e verifiquei que a sopa fica mesmo mais saborosa. Desta vez fiz de abóbora, courgette e cebola roxa que me tinha ainda sobrado e pus tudo direito no forno sem passar pela fase inicial na frigideira. Tenho medo que a outra sopa agora não me saiba tão bem ;)
Foi uma viagem diferente mas que me enriqueceu imenso.
Obrigada pelo carinho, querida Isabel. Beijinhos

Leonor disse...

Olá Catarina, apesar do calor da sopa no Verão tem a vantagem de os tomates serem mais saborosos. Agora são todos de estufa.
Beijinhos e obrigada pela visita :)

Leonor disse...

Obrigada, Inês, é uma cor boa para afugentar o Inverno :)
Beijinhos