segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Bolo de pêssegos e o dia sem dieta


Quando se juntam numa mesma criatura o prazer da mesa, a tendência para acumular por várias partes do corpo tudo o que se ingere, sim, ela existe, não é mito e não me venham com os conselhos sobre como comer que a minha prática daria uma equivalência em qualquer curso de nutricionismo, o deleite da cozinha e, para rematar, a idade, o resultado é não raras vezes um conflito bélico onde numa só e desesperada pessoa os quatro andam à estalada. Quando fui às compras de manhã precavi-me e forneci-me de uns belos pêssegos aromáticos dos que largam o caroço e uma base de massa folhada. Apetecia-me um doce e meti na cabeça repetir a tarte tatin mas desta vez de pêssego. Antes da hora do almoço e enquanto preparava o dito continuou a apetecer-me muito uma sobremesa. Acontece que o meu grilo falante deu-me mais uma preleção sobre os assuntos do costume: a idade, as ancas imensas, o peso, blá blá blá. Resisti a tudo o que tinha trazido do supermercado. À hora do almoço voltei a lembrar-me de que não havia nada para rematar a refeição tranquila de Domingo, dia por excelência de preguiças várias. No fim do almoço, senti-lhe a falta, declarei alto e bom som que Domingo passaria a ser o ‘no diet day’ doravante e umas horas depois abalancei-me na cozinha e derrotei este malvado conflito sem saber quem derrotei afinal. Vencida, deitei mãos à obra. Por aquela hora já não me apetecia a tarte tatin e resolvi-me por uma invenção: em vez da folha de massa folhada, fiz um bolo, inspirada no opíparo bolo de bananas da minha mãe e que é o meu bolo de aniversário há uma década bem medida e derramei a massa sobre a mistura do caramelo e dos pêssegos. O resultado é o que se vê. Ficou muito bom, com o equilíbrio perfeito entre os vários sabores: o doce do caramelo e o ácido dos pêssegos rematado com a textura suave do bolo, no ponto exacto. Não devia ter experimentado, fiquei com vontade repetir. Xô, grilo falante! Vade retro, bicho malvado!

Bolo de pêssegos e caramelo

Ingredientes

Para o caramelo:
150 g de açucar
50 g de margarina

Para o bolo:
250 g de açúcar
200 g de farinha
150 g de margarina
5 ovos

Pêssegos a gosto
Vinho do Porto branco

Preparação
Começar por descascar os pêssegos e cortá-los em oitavos. Dispor numa frigideira de 28 cm com o açúcar e a margarina. Reservar. Entretanto preparar a massa do bolo: amolecer a margarina, juntar o açúcar e bater até ficar um creme. Adicionar os ovos um a um continuado a bater com a batedeira e, por fim, acrescentar a farinha. Reservar.
Levar a frigideira com os pêssegos ao lume e deixar o açúcar caramelizar. O processo é lento, contudo, a caramelização é rápida. Quando estiver caramelizado, borrifar com Vinho do Porto branco e retirar do lume. Deitar a massa do bolo por cima e levar ao forno pré-aquecido a 190º cerca de vinte minutos. Deixar arrefecer e servir. Esta é a técnica da tarte tatin mas desta vez apeteceu-me variar com massa de bolo. Podem usar-se outras frutas, maçãs, alperces, ananás ou banana, assim. mandem o gosto e a imaginação.


Depois de tanto tempo ausente, eis-me de volta.

7 comentários:

teimosita disse...

Uma delícia este bolo! Eu que o diga :)E concordo plenamente com domingo=no diet day. Muito bem pensado; estou farta de dieta :))) Beijinhos

Leonor disse...

Vais sendo a minha cobaia, minha querida mãe :)
Pois é, daqui para a frente, Domingo é 'No Diet Day' :))) Tanta dieta dá cabo de nós.
Beijinhos

são33 disse...

AO DOMINGO TAMBÉM GOSTO DE SER GULOSA.
O TEU BOLO FICOU EXCELENTE.
BOA SEMANA
BJS

Leonor disse...

Olá, São :)
Obrigada. Boa semana também.
Beijinhos

CNS disse...

Tem um ar delicioso...ou será pecaminoso? ;)

Leonor disse...

Tem mesmo, mas quase o queimei ;-)
Deixa-se saborear muito bem, Cristina.

Susana Figueiredo disse...

Que bolo!!! Devia estar excelente! Receita guardada para o tempo dos pêssegos...